FILHO FOLGADO

SERÁ QUE É FOLGADO?

Na Espanha, os pais de um homem de 25 anos disseram-lhe para ele procurar um emprego ou eles iriam parar de pagar-lhe a “mesada” de 944 reais mensalmente. A ameaça foi cumprida, e o jovem resolveu processá-los em tribunal. O juiz rejeitou a sua queixa e condenou-o a sair de casa e encontrar um emprego.

O juiz disse que o homem estudava a um ritmo lento, e provavelmente não concluiria a graduação por vários anos, mas ainda assim achava que ele era capaz de encontrar algum tipo de trabalho. A situação na casa do jovem havia se deteriorado seriamente, com os pais dizendo que seu filho os havia agredido física e verbalmente. A mãe trabalhava em um restaurante, e o pai trabalhava para uma empresa de coleta de lixo. Na Espanha, não é incomum os filhos permanecerem morando com os pais até depois dos 30 anos, uma tendência fortalecida por um mercado de trabalho duro, no qual a taxa de desemprego juvenil é de 40,5%, o mais elevado da União Europeia.

APELAR PARA A EMENDA PODE

NEGAR-SE A RESPONDER

PERGUNTAS PODE.

Em 2009, o juiz Stephen Belden se fartou com as interrupções repetidas de um suspeito de assalto, chamado Harry Brown, e mandou um oficial de justiça colocar fita adesiva sobre a boca do réu para calá-lo. O juiz disse que a fita foi a melhor maneira de restaurar a ordem na audiência, já que o réu não calava a boca, apesar dos pedidos para que ficasse quieto.

Harry se queixou de que seu advogado, nomeado pelo tribunal, não estava preparado e irritou o juiz americano com suas interrupções. Depois de uma advertência, o juiz pediu que um oficial de justiça pusesse a fita na boca de Harry. Quando a fita foi removida, o réu disse que o juiz não estava tendo respeito. Stephen encerrou a audiência e enviou o caso a um júri.

NÃO PODE DORMIR NA AUDIÊNCIA

TEM AUDIÊNCIA QUE

DÁ SONO MESMO, MAS….

Em 2009, o juiz Daniel Roszak condenou Clifton Williams a seis meses de prisão por bocejar ruidosamente em seu tribunal, enquanto dava ao primo dele dois anos de liberdade condicional. Clifton teve de passar três semanas atrás das grades. O promotor do caso disse que o bocejo de Clifton não era de rotina e foi uma tentativa “alta e barulhenta” de perturbar o tribunal.

Porém, uma revisão das taxas judiciais nos últimos dez anos mostrou que o juiz costumava prender pessoas por acusações de desprezo com mais frequência do que qualquer outro juiz em sua comarca. Daniel tinha sido responsável por mais de um terço de todas as acusações de desprezo feitas por 30 juízes em dez anos. Os presos eram tipicamente espectadores cujos telefones celulares tocavam ou que gritavam ou falavam palavrões durante condenação.

FACEBOOK FORA DO AR

O NOSSO FACEBOOK ESTARÁ
FORA DO AR DURANTE ALGUNS DIAS
POR PROBLEMAS TÉCNICOS, E COMO
FICAMOS SEM O SUPORTE QUE
MONTOU A ESTRUTURA QUE TEMOS,
ENVIAMOS O EQUIPAMENTO PARA
SÃO PAULO. NÃO DETALHAREMOS
QUAL EQUIPAMENTO, MAS FICAMOS
VULNERÁVEIS SEM ELE.


ENQUANTO ISSO…….
AGUARDAMOS COM ANSIEDADE O
JULGAMENTO DE SANTO MARTINELLO
SE FOR CONDENADO, PASSAREMOS
A ADMINISTRAÇÃO DO BLOG
E FACEBOOK A QUEM
SE INTERESSAR.

problemastecnicos

problemastecnicos

CAFÉ QUENTE

E VOCÊ RECLAMANDO QUANDO

TOMA CAFÉ FRIO NA

LANCHONETE DA RODOVIÁRIA

Este caso é tão clássico que deu origem ao Prêmio Stella – que celebra as decisões judiciais mais bizarras do ano. Em 1992, Stella Liebeck, de 79 anos, processou o McDonald¿s porque se queimou ao abrir um copinho de McCafé. Ganhou US$ 2,8 milhões, pois seus advogados provaram que a lanchonete servia o café pelando, a 70° C – temperatura considerada alta demais para o consumo do produto.

A JUSTIÇA É PARA TODOS

JÁ VIMOS JUÍZES, POLICIAIS,

PROMOTORES ANIMAIS.

MAS ANIMAL PROCESSANDO……

Em 2012, as orcas Tilikum, Katina, Kasatka, Ulises e Corky entraram com um processo trabalhista contra o parque Sea World na Flórida e na Califórnia. Elas alegam que a empresa promove trabalho escravo porque não reconhece os direitos animais a remuneração e férias. Como orca não fala, o caso foi movido pelo grupo ambientalista Peta em nome dos bichos. Se fosse na Espanha, o processo teria mais chances de avançar: desde 2008, o país reconhece os direitos civis de um animal, o chimpanzé.

PROPAGANDA ENGANOSA

ASSIM SENDO, AS PROPAGANDAS DE

ABSORVENTE AFIRMAM QUE

USANDO PODEM IR A PRAIA, PISCINA,

FESTAS, HOMENS BONITOS…….

O cidadão americano Richard Harris não gostava muito de cerveja. Mas, depois de assistir a um comercial na TV, resolveu experimentar. Só que a bebida não cumpriu a promessa feita na propaganda: nenhuma mulher linda e vestida com poucas roupas se interessou por ele. Harris disse que o caso lhe causou estresse, e moveu um processo contra a cervejaria Anheuser-Busch. Pediu uma indenização de US$ 10 mil. Não ganhou.