PRISÃO DE GRANDES – MARINO ENVOLVIDO 2

É O FIM DAS AMEAÇAS, ASSASSINATOS,

ROUBOS DE TERRAS E FRAUDES

PELOS GRANDES FAZENDEIROS,

EMPRESÁRIOS E POLÍTICOS

DESSA CIDADE?

ALÉM DA LISTA, TEMOS OUTROS

NOMES BEM CONHECIDOS

QUE SERÃO INCLUÍDOS NA LISTA.

AS PRISÕES PROVAM QUE ESSE BLOG

E QUE TODOS OS “REBELDES”

ESTÃO COM A RAZÃO.

E A POPULAÇÃO VAI DIZER QUE

NÃO SABIA QUE MUITA GENTE FOI

MORTA PARA QUE GRANDES FAZENDAS

FOSSEM FORMADAS?

PARABÉNS À POLÍCIA FEDERAL.

TALVEZ A FAMOSA FORÇA

POLÍTICA SALVE ALGUÉM.

NOS PRÓXIMOS DIAS, TODOS OS

CRIMES COMETIDOS PELO BANDO.

FINALMENTE UMA LIMPA NESSA CIDADE.

A MAQUIAGEM CAIU.

ATÉ QUE ENFIM.

FAZ TEMPO QUE ESPERÁVAMOS

AÇÕES CONTRA ESSES CRIMES 

Lista de Prisões Preventivas

Marino José Franz – Líder

Natal Aparecido Deliberalli – Líder

Élio Faquinello – Líder

Éder Frizo Faquinello – Líder

Jesus Valdomiro Selzlien – Líder

Holivar A. da Silva Braga (Verdinho) – Líder

Gustavo Dassoler – Líder

Bento Sangioto – Líder

Wanderley Pastro – Líder

Silvestre Caminski – Líder

Rui Schenkel – Líder

Donizete Casavechia – Líder

Antônio Adi Mattei – Líder

Odair Geller – Sub-líder

Milton Geller – Sub-líder

Agildo Tadeu Prates – Sub-líder

Jorge Luiz Denicolo

Delfino Casavechia

César Tiago Prediger

Valter Ambiel – Sub-líder

Leciano Pedro da Silva – Sub-líder

Vanderlei Proenço Ribeiro – Sub-líder

Valmir João Fungueto – Sub-líder

Joelson Nicoletti – Sub-líder

Oscar Versari – Sub-líder

Osmar Versari – Sub-líder

Luiz Bento Versari – Sub-líder

Fernando Priori Zanatta – Sub-líder

Francisco da Rosa

Elizeu de Oliveira

Gentil Piana

Jeová Pereira

Ademir Borin

Lirio Lopes

Isaias Neri Tobaldini

Polícia Federal deflagra

operação em

Lucas do Rio Verde

pfemlucas

A estimativa é que o esquema tenha

lesado os cofres públicos em até R$ 1 bilhão

Uma equipe da Polícia Federal esta cumprindo mandados de busca e apreensão em Lucas do Rio Verde na manhã desta quinta-feira (27). A ação realizada fazem parte da operação ‘Terra Prometida’, que investiga crimes contra a administração pública por parte de servidores públicos federais e municipais. O nome da operação remete à promessa de terras feita por Deus ao povo escolhido.
Neste momento, a Polícia Federal encontra-se no bairro Pioneiro em Lucas do Rio Verde. Estão sendo cumpridos 52 mandados de prisão preventiva, 146 mandados de busca e apreensão e 29 de medidas proibitivas, nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Nova Mutum, Diamantino, Lucas do Rio Verde, Itanhangá, Ipiranga do Norte, Sorriso, Tapurah e Campo Verde.  Dentre os alvos da operação, oito servidores públicos estariam sendo investigados, além de 80 fazendeiros.
Segundo informações não oficiais, existem denúncias de irregularidades na concessão e manutenção de lotes destinados à reforma agrária, onde no decorrer das investigações descobriu-se uma verdadeira organização criminosa com forte atuação na região de Lucas do Rio Verde/MT e Itanhangá/MT, estruturada para cometer crimes de invasão de terras da União, contra o meio ambiente, falsidade documental, estelionato, corrupção ativa e passiva, cujas penas podem chegar a até 12 anos de reclusão.
Em Lucas a PF está desde a madrugada desta quinta-feira, e segundo informações não oficiais, 2 empresários foram detidos.  Os presos serão encaminhados para Diamantino, onde posteriormente serão transferidos para a Superintendência da PF de Cuiabá. Cerca de quatro equipes da Polícia Federal estão espalhadas em pontos da cidade, a última informação que recebemos é que um empresário do agronegócio foi detido agora a pouco em sua residência, o nome não foi revelado devido ao sigilo da operação.

Nossa equipe de reportagens está no local, em breve mais informações.

Como funciona o esquema:

O esquema era operado, em síntese, através de pessoas ligadas ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itanhangá (MT) e ao serviço social da Prefeitura Municipal de Itanhangá, que elaboravam listas com nomes de “laranjas” que, em nome de empresários e fazendeiros, falsificavam “cartas de desistência” e Declaração de Aptidão ao Incra.

Em seguida, os servidores do Incra realizavam “vistoria fictícia” para comprovar a posse dos “laranjas”, que após cadastrados no Sipra, eram homologados e imitidos na posse. Entretanto, quando o documento do Incra era emitido, o fazendeiro já estava ocupando e produzindo nas parcelas reconcentradas.

De acordo com informações da PF, o esquema era muito lucrativo, tanto para os intermediários que atuavam nas negociatas, quanto para os grupos do agronegócio que reconcentram as parcelas, usurpando áreas de topografia plana, o que as torna muito produtiva e valorizada após a mecanização.

Atualmente, estima-se que 80 fazendeiros estão reconcentrando ilegalmente cerca de mil lotes da União, sendo que o maior latifundiário reconcentra 55 lotes, e o menor 5 lotes, podendo tal fraude alcançar o montante de um bilhão de reais, em valores atualizados.

http://www.cenariomt.com.br/noticia/407910/policia-federal-deflagra-operacao-em-lucas-do-rio-verde.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s